Saltar para o conteúdo principal
Lido 6553 vezes
Modificado em quinta-feira, 15 outubro 2015 17:12

Charneca e Campina . Carregueira

Famosa pelos seus laranjais... Tem junto à sua Mãe d'Água um agradável espaço de lazer... 

 
:: Resenha Histórica
 
Antigamente, no tempo dos romanos foi construída uma estrada com início no Castelo de Almourol que passava na ponte das Ferrarias (ponte que passa por cima da Ribeira do Arripiado) e no alto da Carregueira, seguindo outros rumos. Por essa estrada faziam-se diversos transportes, principalmente os produtos das olarias existentes junto à ponte das Ferrarias. Pensa-se que ao lugar onde existe actualmente a Carregueira, os romanos vieram "carregar" algo, talvez palha ou frutos. Com o decorrer dos tempos, as pessoas abreviaram o "vou carregar ao lugar..." por "vou à Carregueira". Terá sido assim que nasceu o nome desta povoação.
O seu desenvolvimento económico e social, levou a que a Carregueira e o Arripiado se desanexassem da freguesia do Pinheiro Grande em 4 de Outubro de 1985. Sendo um local onde predomina a pequena propriedade com terrenos férteis e água abundante, tornou-se, no início deste século, um ponto de fixação para muitas famílias essencialmente das zonas de Abrantes, Fátima, Ourem e Sardoal. Mas o maior desenvolvimento desta freguesia deu-se a partir de 1985. Desde então, a freguesia da Carregueira tem vindo a melhorar as suas infra-estruturas, com o asfaltamento de estradas, a construção da rede de abastecimento público de água e a criação das extensões de saúde na Carregueira e Arripiado, entre outras.
Em relação ao Arripiado, uma aldeia tipicamente ribeirinha, predomina a grande propriedade. Trata-se de uma povoação de grandes recursos turísticos, estando em curso um projecto de revitalização da zona.
  
:: Os Laranjais
 
Chegaram ao Ocidente trazidas pelos Árabes, vindas das terras da Ásia. Com elas chegaram também o sabor que trazem dentro e o aroma que espalham em redor. São as laranjas, sumarentas, saborosas, perfumadas. 
 
As laranjeiras, que as dão, entraram na nossa vida, na vizinhança das nossas casas, a roda do poço e do tanque, por entre as regadeiras que lhes vão matar a sede e alimentar o sumo e o sabor. Das suas folhas se fazem perfumes e chás calmantes. Da sua madeira fizemos das mais belas peças do nosso artesanato popular. Das suas flores coroámos as noivas, da cor alva da candura, pelos séculos adiante. 
 
Habituámo-nos a vê-las e a sentir-lhes o cheiro. Por todo o lado, ao longo do Tejo, nos vales das ribeiras, num sítio qualquer onde o Homem leve a água, o trabalho e o carinho. Mas sobretudo na Carregueira que é a rainha dos laranjais no Concelho. 
 
Há as que chegam agora, vindas de longe, grandes, polidinhas, de casca grossa e luzidia que nos enganam os olhos e defraudam o paladar, E há as que conhecemos há séculos, pequenas e verdadeiras como nós, que se desfazem em sumo e em doçura no deleite da nossa boca. É dessas que nós gostamos. E quem sabe o que são laranjas, sabe, por certo, que temos razão ao dizer que laranja, só da nossa! 
 
:: Mãe D'Água
 
A Mãe d'Água é um conjunto de sistemas tradicionais de aproveitamento da água, composto por uma nascente, açude ou tanque de horas, antigo bebedouro para animais adaptado a lavadouro público. E o seu espaço natural envolvente tem características do tipo charneca ribatejana.
 
"... Foi aqui que tudo começou. Na água. Há talvez uns quatro mil milhões de anos ou mesmo mais ... 
Berço e fonte da vida, a água é um elemento, natural  imprescindivel e insubstituível.
Com água se mata a sede e se refresca a vida. Com água se lava o corpo e se purifica a alma. Com água se rega a terra e se apaga o fogo. Com água se movem azenhas e moinhos e rodas grandes de lagares de azeite. Com água se amassa o pão que comemos e o barro de que fazemos as nossas casas. Na água se navega e a gente se recreia. Com água se baptizam as crianças e se benzem os fiéis. De água são as lágrimas que nos saltam dos olhos por tristeza ou alegria. Porque são de água três quartos do nosso corpo e é de água se compõem sete décimos da Terra onde vivemos. De água somos e sem ela não seremos ..."
 
In Cadernos da Ascensão, Água
 
:: Locais a visitar...
 
   > Carregueira
 
      - Igreja de Santa Bárbara
      (património religioso de grande expressão e interesse)
 
      - Jardim e Zona Verde
      (espaço envolvente à Igreja de Santa Bárbara)
 
      - "Mãe d'Água"
      (espaço de lazer de grande beleza natural com uma nascente de água)
 
      - Pátio Desportivo
      (um espaço renovado ao lazer e prática desportiva)
 
      Percursos Pedestres (Documentos Orientadores) 
 
       Percurso 2005 "Sete Bicas" 587Kb
 
       Percurso 2007 "À Descoberta do Tejo Velho" 403Kb
 
       Percurso 2008 "Caminhando pelos Carreiros dos nossos Avós" 1039Kb
   
   > Arripiado
 
      - A Igreja de S. Marcos
      (património religioso de grande expressão e interesse)
 
      - O Miradouro do Almourol
      (com vista panorâmica para o Rio Tejo e Castelo do Almourol)
 
      - O Castelo do Almourol
      (imponente construção medieval no meio do formoso e vasto Rio Tejo)
 
      - O Passeio Ribeirinho no Arripiado
      (com passeios na Zona Verde, de barco no Rio Tejo e ao Castelo de Almourol)
 
      - As Ruas Floridas
      (descubra os encantos desta típica aldeia ribeirinha de ruas estreitas e floridas)
 
      - O Porto Fluvial do Arripiado
      (Porto com táxi fluvial com acesso à Aldeia de Tancos na outra margem do tejo)
 
      - Posto de Turismo
      (onde encontra informação do concelho)
 
      Percursos Pedestres (Documentos Orientadores) 
 
       Na Rota do Almourol 2007 317Kb  Na Rota do Almourol 2008 413Kb
 
Localizar no Mapa...
Para mais informações contacte...
Câmara Municipal de Chamusca - Posto de Turismo
Rua Direita de S. Pedro - 2140-098 Chamusca - Tel. 249 769 100 - Fax 249 760 211
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
 
 
 
 
 
 
Tagged em
voltar ao topo