Saltar para o conteúdo principal
Lido 7650 vezes
Modificado em terça-feira, 12 novembro 2019 12:20

Charneca e Campina . Pinheiro Grande

Com vista para a Lezíria, a aldeia do Pinheiro Grande é situada a nordeste da vila de Chamusca a uma distância de 4 km aproximadamente.

Segundo a lenda, um dia o Ribeiro do Casal Velho, depois de uma grande enchente, transbordou e arrasou toda a povoação, ficando apenas terreno próprio para cultivo. Quando chegou o tempo das sementeiras, a terra foi lavrada, mas, em determinado sítio, os bois paravam e ajoelhavam. 

Estranhando o caso, os camponeses perguntaram-se, entre receosos e deslumbrados, a razão de tão extraordinário acontecimento. Consultaram-se e resolveram revolver o solo e ver se conseguiam atinar com o milagre. Meteram mãos à obra, cavaram e encontraram a Imagem de Santa Maria. Ficara subterrada, aquando da invasão das águas. Trazem-na para a Capela e todas as noites a Santa desaparece para o local onde fora encontrada. Tocados no coração, os habitantes do lugar pensam em construir a Igreja, de propósito para guardar a Imagem. Conseguem edifica-la e para lá transferem a Santa. Desde então, não mais saiu de lá. 

Foi à volta desta Igreja que nasceu a povoação de Pinheiro Grande que inicialmente se chamou Pinheira, porque no local havia uma Pinheira que, por ter secado, foi mandada cortar pelo comendador D. João de La Cueva, em 12-02-1755. Media 19,5 varas de comprimento e 23 palmos de grossura no .
A Igreja Paroquial, colocada ao centro da antiga Comenda de Cristo, deve a sua fundação a um dos primeiros Comendadores daquela ordem no séc. XVI. De todos os comendadores o mais ilustre foi o cronista Gomes Eanes de Azurara que sucedeu a Fernão Lopes no cargo de Guarda Mor da Torre do Tombo e continuou a obra de D. João I começada pelo seu antecessor. Azurara entrou, na Ordem de Cristo e teve o grau de Comendador de Alcains, comenda que depois de 1554 trocou pelas de Pinheiro Grande e Granja do Ulmeiro.
 
O último Comendador de Pinheiro Grande foi D. João de La Cueva que aqui se acha sepultado a par de sua mulher, e que teve de expatriar-se por haver assassinado o Marquês das Minas, D. João de Sousa, quando este saia da Congregação O Oratório, em 17 de Setembro de 1722.
 
Do palácio dos Comendadores do Pinheiro, situado a poente do lugar de Pinheiro Grande onde passa hoje a estrada nacional 118, até poucos anos existiam os alicerces, mas no princípio do Século ainda se via um grande arco. Para além da igreja paroquial ainda várias Capelas nesta Freguesia que são propriedade particular e ainda o Convento de Santo António.
 
Figuras Ilustres ligadas à História de Pinheiro Grande - Para além das citadas, não podemos deixar de falar de: D. Manuel de Santa Rita Barros, vice-reitor do Seminário de Santarém e mais tarde Bispo de Angola; Dr. João Joaquim Isidro dos Reis, impulsionador daquela obra maravilhosa que é a ponte com o seu nome, vulgarmente conhecida por Ponte da Chamusca; família Vaz Monteiro, que cedeu o terreno onde foi construída a primeira escola em edifício próprio do Concelho; Joaquim Nunes Jorge, Administrador do Concelho até 16 de Janeiro de 1926; Engº. Carlos Monteiro do Amaral Netto, último Presidente da Assembleia Nacional em Abril de 1974; João Alves Orvalho, Presidente da Câmara Municipal de Chamusca no período de 1959 a 1961.
 
:: Valores Arquitectónicos e Arqueológicos
 
Convento de Santo António
Fica situado junto à Ponte que faz ligação entre o Concelho da Chamusca e o da Golegã. Este Convento, fundado por D. Manuel I para Padres Franciscanos, depois de ter passado por várias vicissitudes foi adquirido e restaurado pela família Amaral Netto.
 
Ponte João Joaquim Isidro dos Reis
Liga esta Freguesia ao concelho da Golegã. É também conhecida por "Ponte da Chamusca".
 
Rua Isidro dos Reis
Os habitantes desta freguesia também quiseram perpetuar a pessoa de João Joaquim Isidro dos Reis dando o seu nome à principal rua da aldeia. Rua típica onde os motivos justificam um olhar atencioso, as casas debruçadas para a estreiteza da rua, as suas gentes hospitaleiras, o comércio em desenvolvimento e onde se situam as escolas, a Casa Paroquial, a Sede da Junta, o edifício de habitação permanente para médico e a Igreja de Santa Maria. 
 
:: Ectnografia e Tradições
 
No Pinheiro mais de 120 anos havia o costume seguinte: no dia de finados e a adiantadas horas da noite ia uma pessoa para a encosta de um outeiro, nas proximidades da povoação, e daí recitava, em voz alta e lúgubre, uma oração em verso apropriada, enquanto da aldeia uma outra voz lhe respondia no mesmo tom. O efeito que esta desgarrada produzia era das mais patéticas e apavorantes.
 
:: Locais a Visitar
 
   > Pinheiro Grande
   - A Igreja de Santa Maria do Pinheiro Grande
     (Igreja Paroquial, construída ao centro da antiga Comenda de Cristo do séc. XVI)
   - O Covento de Santo António
     (Convento fundado por D. Manuel I para Padres Franciscanos)
   - O Miradouro das Cabeças
     (Vista panorâmica para o Rio Tejo e lezíria ribatejana)
   - Percurso de Manutenção
     (Onde pode praticar exercício físico em contacto com a natureza)
   - A Ponte da Chamusca "Isidro dos Reis"

     (Com parque de merendas, restaurante e alojamento ali mesmo ao lado

 
Localizar no Mapa...
Para mais informações contacte...
Câmara Municipal de Chamusca - Posto de Turismo
Rua Direita de S. Pedro - 2140-098 Chamusca - Tel. 249 769 100 - Fax 249 760 211
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
 
 
 
 
 
 
 
Tagged em
voltar ao topo